Home
 Equipe
 Galeria de fotos
 Histórico
 Localização
 O Rebanho
 Alimentação
 Catálogo de vendas
 Caprinforma
 Cotações
 Curiosidades
 Dicas
 Notícias
 Raças
 Receitas
 Sanidade
 Técnicas
 Web Links
 Livro de Visitas
 Contate-nos

Você pretende ampliar seu negócio de Caprinos?

Sim               
Não               

  

 
 
 
Advertisement
 
 
Mineralizar é necessário   Versão para Impressão  Enviar por e-mail 
07 02 2005
Muita gente só utiliza sal branco, ou mesmo sal de bovinos, quando o correto é utilizar sal mineral específico para ovinos e caprinos.

A correta mineralização do rebanho ovino é de grande importância para as funções vitais, tais como digestão, respiração, circulação, andamento, etc. Até para ajudar as reações entre as células. Carências minerais podem ocasionar grandes danos aos animais, pois gera uma queda na produtividade, ou seja, prejudica o desenvolvimento, o crescimento, o ganho-de-peso, facilitando o aparecimento de doenças, a queda da fertilidade. Em suma: afeta a produção de leite, de carne e da lã, entre outros prejuízos.

O elemento mais deficiente da dieta é o sódio (Na). É fácil verificar que os animais e até o homem têm muita necessidade de Sódio. Quando um animal vai ate o saleiro, ele não vai atrás de Cálcio (Ca), Fósforo (P), Zinco (Zn), Enxofre (S), etc. Ele vai atrás do sódio (Na) que é a sua principal deficiência na alimentação natural, pois não é encontrado normalmente nas pastagens.

Pode acontecer o contrário, ou seja, uma nutrição com excesso de sódio. Isto ocorre em áreas de água salina, salobra, ou no litoral. Nessas regiões, a própria forragem do pasto apresenta excesso de sal vindo pelo ar trazido pela maresia, ou do próprio chão salinizado.

Para forçar o animal a consumir os demais minerais necessários, o melhor é utilizar uma mistura que contenha todos os macro e micro elementos para o rebanho - no concentrado. Ou então, colocar um palatabilizante no sal mineral, como por exemplo, melaço, milho, etc.

Os ovinos, por serem animais herbívoros ruminantes, podem ser criados totalmente a pasto. Esta é a forma mais barata e simples de se criar. As pastagens, no entanto, normalmente são pobres em elementos minerais e o rebanho exige uma suplementação mineral para atender suas necessidades minerais diárias.

As necessidades dos minerais são de acordo com o peso do animal e seu estado fisiológico (lactação, gestação, vazio).

O consumo de sal mineral por um ovino varia conforme seu peso e os níveis de sódio (Na) que regula o consumo. Normalmente situa-se em torno de 5-30g animal/dia.

Os minerais essenciais são divididos em:

- Macrominerais, Ca, P, Mg, S, Na, Cl, K) e são exigidas em maior quantidade, geralmente algumas gramas por dia. (Ver Tabela 1)

- Microminerais (Zn, Cu, Co, I, Se.
Mn, Fé, F, Cn Ni).
É extremamente necessária a suplementação deste elementos, embora o consumo seja de miligramas por dia. (Ver Tabela 2)

Os elementos citados são os principais que participam de uma mistura mineral normalmente encontrada em lojas. Existem vários outros que não são encontrados nas formulações minerais comerciais, sendo que muitos são encontrados na dieta, via forragem.

Tabela 1 - Exigência de macrominerais para ovinos, segundo NRC (1985), citado por Susin (1996)

Nutriente

Exigência (%MS)

Sódio

0,09 – 0,18

Cálcio

0,20 – 0,82

Fósforo

0,16 – 0,38

Magnésio

0,12 – 0,18

Potássio

0,50 – 0,80

Enxofre

0,14 – 0,26

Tabela 2 - Exigências de microminerais para ovinos e limites máximos toleráveis (mg/kg MS), segundo NRC (1685).

Nutriente

Exigência (%MS)

Nível Máximo (mg/kg MS)

Iodoª

0,10 – 0,80

50

Ferro

30 – 50

500

Cobre*

7 – 11

25

Cobalto

0,1 – 0,2

10

Manganês

20 – 40

1000

Zinco

20 – 33

750

Selênio

0,1 – 0,2

2

ª Os valores de iodo são para dietas que não contem substâncias goitrogênicas.

* Os valores de cobre são para concentrações < 1 mg de molibdênio/kg de matéria seca.

Os minerais essenciais são aqueles que, sem eles, o animal acabará definhando, ou não correspondendo ao seu potencial. São os descritos a seguir.

Macrominerais

Fósforo (P) - É o mineral mais limitante da produção animal, pois é muito deficiente nos solos e plantas. Participa do metabolismo energético a nível celular de todos os nutrientes orgânicos (carboidratos, proteína, gordura). Participa na síntese protéica dos microorganismos do rúmen e na formação dos hormônios, principalmente os reprodutivos. A deficiência provoca anestro nas ovelhas, redução no ganho de peso e quando a deficiência é grave, provoca a depravação do apetite (comer material estranho). Sua principal fonte é o ortofosfato bicálcio, que é produzido através de rochas fosfáticas.

Cálcio (Ca) - É o mineral presente em maior quantidade no organismo animal presente nos ossos, dentes e músculos. Sua exigência é alta principalmente na fase de crescimento (crescimento do esqueleto). Sua deficiência pode provocar hipocalcemia principalmente pós parto pela extração de Ca do organismo para formação do leite. A deficiência em cordeiros causa raquitismo, falta de crescimento os ossos. A principal fonte é o calcário calcítico.

Magnésio (Mg) - Desempenha funções semelhantes às do cálcio e está presente nos ossos, leite e músculos. Geralmente as deficiências serão corrigidas pelo próprio calcário calcítico que contém, em média, 3% de Mg. Fora isto, a principal fonte é o óxido de magnésio (que tem 53% Mg puro) e o sulfato de Mg (que tem 10% de Mg puro).

Enxofre (S) - É necessário para a síntese protéica no rúmen, pois faz parte dos aminoácidos sulfurados cistina, cisteína e metionina. Sua deficiência provoca menor síntese protéica no rúmen. Sua principal fonte é a flor de enxofre (enxofre em pó 95% de S).

Sódio (Na) - É o elemento mais deficiente para todos os animais. Regula o consumo do sal mineral. Ele é o único que os animais procuram para comer e, por isso, serve de veículo para os demais minerais. Sua falta na dieta, assim como o fósforo (P), provocasse depravação de apetite. A principal fonte é o cloreto de Sódio (NaCl) que contém 37% de sódio. O cloreto de sódio é conhecido como "sal comum", "sal boiadeiro", etc. - popularmente.

Potássio (K) - Assim como o Sódio (Na), participa na regulação da pressão osmótica a nível celular. É excretado pela urina e o estresse no animal acelera a sua perda. Ás áreas de pastejo geralmente não são deficientes em K, pois o elemento é bastante reciclado pela urina. Em áreas de corte de forragem onde os animais não pastoreiam, a adubação deve ser freqüente para não haver sua deficiência na forragem de corte. Sua principal fonte é o cloreto de potássio (Kcl) e só entra na formulação mineral em casos especiais.

Microminerais

Zinco (Zn) - Participa, junto com a vitamina A, da integridade da pele e da proteção hepática em pastagens de brachiária onde é comum ocorrer fotossensibilização causada pelo fungo Phitomices chartarium. O Zinco é o elemento de maior importância para se obter sucesso na braquiária, principalmente o zinco quelatado (orgânico) que é melhor assimilado e absorvido pelo organismo animal. A principal fonte é o óxido de Zn (que tem 73% de zinco) e o sulfato de Zn (que tem 21% de zinco).

Cobre (Cu) - Os ovinos são relativamente sensíveis a este elemento. Sua exigência é muito próximo da toxidade, ou seja, pode provocar intoxicações graves. Mesmo assim, é necessário na suplementação, pois faz parte da molécula de hemoglobina, no sangue, a qual contém cobre e ferro. O cobre participa da formação e manutenção dos pêlos. Sua falta provoca pêlos quebradiços, sem brilho e até diarréia. A principal fonte é o sulfato de cobre (com 25% de Cobre).

Cobalto (Co) - É o componente da vitamina B12 (cianocolobalomina) que é sintetizada no rúmen. Sua deficiência provoca anorexia. A principal fonte é o sulfato de cobalto (que tem 21% de Cobalto).

Iodo (I) - Participa na formação dos hormônios da tireóide. Sua deficiência causa a "papeira", ou Bócio endêmico. Por lei o cloreto de sódio (NaCl) deve conter Iodo, originando o cloreto de sódio iodato (NaClI). A principal fonte é o Iodeto de cálcio (com 63% de iodo) e o Iodeto de potássio (com 57% de iodo).

Selênio (Se) - Faz parte da enzima glutatrione peroxidase, que participa no metabolismo energético dentro da célula. A deficiência de Se causa falhas reprodutivas e retenção de placenta. Sua principal fonte é o selenito de sódio (que tem 45% de selênio).

Manganês (Mn) - Participa também na formação de grande parte dos hormônios reprodutivos. A deficiência provoca queda nos índices de fecundidade do rebanho. A principal fonte é o Sulfato de manganês (com 28% ou 31% de manganês).

Flúor (F) - Participa da formação dos dentes e ossos e é responsável pela sua resistência. Quanto em excesso ou carência provoca a fluorose. Por lei as fontes de Fósforo devem possuir no mínimo 60 partes de Fósforo para 1 parte de Flúor.

Cromo (Cr) - A principal função é regular o nível de insulina no sangue. Estudos dizem que o cromo atua também melhorando a resposta imunológica, ou seja, aumentando a defesa do organismo.

Dicas e cuidados

O criador sempre deve ficar atento ao "mineral" que está usando, bem como à altura e espaçamento do saleiro a fim de que todos os animais do rebanho tenham acesso diariamente. Caso o criador misture o sal na própria fazenda, convém consultar um zootecnista para realizar o balanceamento da mistura mineral de acordo com as exigências nutricionais dos ovinos. Além disso, é importante comprar o produto em empresas idôneas. Em caso de dúvidas, enviar as amostrar para analise em laboratório.

O espaçamento é de 1,5 cm de área-de-lambida por animal. Se o lote for de 40 animais, a área será de 40 x 1,5 cm, ou 60 cm. O saleiro coberto é mais vantajoso, pois evita que o mineral fique molhado com as chuvas, gerando desperdício. Na época da estiagem, convém utilizar sal proteinado acrescido de uréia. Nesse caso, o cocho deve ser coberto para evitar água dentro do saleiro, pois a uréia fica na superfície da água e pode intoxicar o animal (A uréia, consumida em excesso, transforma-se em amônia dentro do rúmen e isso pode provocar a intoxicação).

A localização do cocho deve ser estratégica para que todo rebanho tenha fácil acesso e também para facilitar o trabalho do tratador que precisa percorrer todos os saleiros, diariamente.


Fonte: Revista O Berro Nº 67 e "Nutrição de Ovinos" (1996) Sobrinho et.al..


 
Voltar para Principal
 

Nós temos 18 convidados online

 
1594318 Visitantes

 
Alimentação
Confira a importância da alimentação, na criação de caprinos, dicas e MAIS !!!
 
Cotações
Sessão contendo as Cotações de Caprinos atualizadas...
Confira !!!
 
Dicas
Confira agora mesmo a nossa sessão de dicas
Clique aqui !!!
 
Receitas
Você quer conhecer algumas receitas de caprinos?
Acesse aqui !!!
 
Sanidade
Análise do rebanho para verificação de possíveis doenças.
CONFIRA AQUI !!!
 
Créditos
Créditos